quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Pobres rimas pra caber

Umas coisas me pego escrevendo
E ''tenho duas coisas pra te contar''
É assim, ''sem querer querendo''
Que me pego a sonetar

Há pouco tempo estava lendo
Uma cartinha de ''porque se gostar''
De tão linda, estou cedendo
E meu amor vou declarar

Amo tanto e com tanta sinceridade
Que, pobre soneto... não comporta
E se acaba antes de chegar a metade

Mas se quer saber, isso não me importa
Porque essa paixão de tão verdade
Mesmo de longe, me transporta

9 comentários:

  1. eu vou comentar, só não sei o que ainda.

    ResponderExcluir
  2. aaaahhh! vc não existe, gagota!! muito muito muito amada! tive que processar essa informação antes de comentar! esse sonetinho todo errado (que nem eu) é muito lindo, quase me fez chorar!!!! amiga mais presente e mais ausente! esse último verso é a coisa mais linda! amei!!!!

    ResponderExcluir
  3. linduxa! saudades! eu li ele todo com a sua voz na minha cabeça!
    lindouna!

    ResponderExcluir
  4. hahaha a palavra q eu tive q escrever pra comentar foi 'NEREITER'

    ResponderExcluir
  5. hahahahahahah...só tu gggggrrrrrr

    ResponderExcluir
  6. nem tão pobre para não caber...coube!!!

    ResponderExcluir
  7. que coisa mais deliciosinha de almeida!

    ResponderExcluir